33 Copiapó a Fiambalá Paso San Francisco (60)

Com a palavra o motociclista: Jorge

Sempre fui um apaixonado por motos. Fazer passeios e até pequenas viagens sempre foi um grande prazer em minha vida. E à medida que a cilindrada da moto ia aumentando, estes passeios e viagens também aumentavam.
Com estas viagens que fiz fui adquirindo experiência, não apenas no sentido da pilotagem (visto que saber pilotar uma moto muito bem é um pressuposto fundamental para querer viajar de moto), mas no sentido de saber que é necessário escolher a moto certa para o uso que você quer fazer dela, encontrar seu próprio ritmo de viagem como velocidade de cruzeiro agradável, distância das paradas para descanso, distância total a ser rodada naquele determinado dia de viagem, o que levar, o que vestir, e por aí vai…
E como bom motociclista que sou (na minha propria opinião, claro, rs), o desejo de fazer aventuras cada vez maiores e mais desafiadoras era como uma evolução natural da espécie (ou você conhece algum “motociclista” que sonhe em viajar cada vez menos e para lugares mais próximos???)
Até que num belo dia encontrei um site na internet com um monte de “relatos” de vários motociclistas que ali contavam suas viagens, a maioria internacionais, alguns mais detalhados que outros, alguns com mais fotos que outros, mas com certeza todos eram fantásticos. Aquilo bateu na minha mente como uma droga irresistível e viciante. Eu não conseguia parar de ler aquelas histórias e ver aquelas fotos maravilhosas de lugares e paisagens surreais. Sentia-me como se tivesse acabado de tomar a pílula vermelha do Matrix! Um novo mundo de aventuras se abria para mim!…
Então pensei: por que não fazer uma grande viagem, uma viagem por outros países, saindo daqui, da porta da minha casa e retornando até a mesma?
Acho que neste momento o projeto Atacama 2010 teve início!
No começo ele se chamava projeto Machu Picchu 2010, mas como já foi explicado no inicio deste blog, por diversos fatores a viagem que no início era pra ser para Machu Picchu acabou sendo para o Atacama. Diga-se de passagem: uma decisão acertada. Mas não vou adentrar neste assunto, pois isso já foi explicado nos preparativos para a viagem, láááááá atrás…
Viajar é muito bom. Viajar de moto é muito melhor. Viajar de moto pela America do Sul então foi algo tão sensacional que vai ficar na minha lembrança para o resto da vida, com certeza.
E a vontade de começar a preparar a próxima viagem é inevitável.
Falando nisso, preciso parar de escrever agora porque tenho um assunto pendente a resolver. Um tal de Macchu Picchu…
facebookyoutubemail

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>