Bahia Blanca – Puerto Madryn







Dia 05.12

Bahia Blanca – Puerto Madryn
693 KMs
 
Saímos do hotel por volta das 9h e fomos direto à oficina. Às 10h30m o óleo da XT já estava trocado, mas eu queria comprar uma coroa nova para a V-Strom, que eles não tinham, mas indicaram onde eu conseguiria comprar, num repuesto na saída da cidade. Coroa comprada, eram 11h e, finalmente, estávamos novamente na Ruta 3.
 
Neste trecho, a Ruta 3 segue sentido oeste para depois virar à esquerda e seguir por mais uns 3000kms para o sul.
 
Tivemos nosso primeiro contato com os ventos. A maior parte do tempo eram ventos de frente, fazendo com que a moto ficasse pesada, o consumo foi ao espaço. Às vezes, ele pegava a gente de lado, da esquerda para a direita, fazendo com que andássemos de lado. O problema eram as rajadas.
Parecia que tinha alguém chutando as rodas da moto, como que tentando dar uma rasteira nela.
 
Depois que a estrada apontou para o sul, os ventos diminuíram, e pudemos impor um bom ritmo.
 
Agora a paisagem era de uma estepe com arbustos baixos, planícies sem fim, a se perder pelo horizonte.
 
Definitivamente, estávamos na Patagônia!
 

Na saída da Ruta 3, para acesso a Puerto Madrin, nosso destino do dia, havia uma espécie de mirante de onde podíamos ver toda a cidade e o oceano Atlântico à sua frente. Ficamos um tempo parados ali, tirando fotos e observando a proteção natural que os “cerros” davam à cidade contra os ventos patagônicos.


Encontramos um hotel muito bom a um preço justo. Havia vários restaurantes ao redor.

 
 
 
 
Depois de instalados, resolvemos dar uma volta de moto pela cidade.

 

 

Fomos seguindo pela orla, que era muito bonita e arrumada.  A avenida da orla terminava num morro e tinha um monte de carros e motos subindo para lá. ‘Vamos ver o que tem lá, então’! Encontramos um mirante fantástico de onde podíamos ver toda a orla da cidade e o oceano à nossa frente, majestoso.

Uma escultura enorme de um índio observava o oceano, como que tentando ver o que havia depois dele. Chegamos exatamente no momento do pôr do sol. Como se ainda  faltasse alguma coisa para aquela paisagem ser surreal, a lua acabava de nascer de dentro do mar e deixava nele um rastro de luz.

Nem vou tentar explicar a beleza daquele momento. 

Vejam as imagens no filme!!!!!

 
Hoje a Quilmes book desceu bonita, 2 litros dela.
 
O fato de ter chegado ao destino do dia com tempo suficiente para dar uma volta pela cidade e ver aquele espetáculo da natureza me deixou extremamente feliz.
 
Mesmo tendo sido apenas uma horinha de city-tur, consegui, ao menos, dar uma olhadinha na cidade por onde estava passando nesta grande viagem, e não apenas ficar andando de moto, o tempo todo por dias e dias. 

Apart Hotel Patagonia – Muito bom – Valor da diária: $300 pesos

Gasto Combustível: $545 pesos

Para conhecer mais:
http://madryn.travel/

Assista ao filme deste incrível dia de viagem….

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *