Casa de Piedra à 9 de Julio

 
Dia 19.12
 
Casa de Piedra – 9 de Julio
736 kms
 
 

Acordamos cedo, arrumamos as malas e tomamos um café simples, mas gostoso. O destino de hoje seria Buenos Aires. Começamos a conversar com a recepcionista, uma jovem que nos informou que a estrada em direção a Buenos Aires estava em péssimas condições, com trechos que não conseguiríamos sequer passar. Disse que teríamos a opção de ir por rípio ou voltar vários quilômetros para pegar outra estrada. Entramos em pânico.

Enquanto conversávamos, chegou outra jovem, que parecia “gerente” do hotel, que minimizou as informações anteriores e o nosso susto. Explicou os principais pontos que precisavam de mais atenção devido aos buracos na pista. Como havia um porto de combustíveis quase ao lado do hotel, Jorge achou melhor conversar com algum caminheiro que estivesse chegando daqueles lados.

Os caminhoneiros confirmaram as informações sobre os pontos mais críticos, dizendo que poderíamos seguir viagem, desde que devagar e com muita atenção e que, com moto, seria mais fácil.

Saímos para enfrentar a tão temida estrada! As meninas realmente não sabem o que é uma estrada ruim, logo se vê que nunca viajaram pelas estradas do Brasil, principalmente as do Nordeste. Passar os “obstáculos” da Ruta 34 foi tranquilo diante do que já tínhamos vivido com o rípio e com o que conhecemos de “estradas ruins”. Alguns trechos realmente estão bem precários, com muitos buracos, mas vimos que alguns tinham sido recém-tapados, inclusive encontramos máquinas trabalhando na pista, quem sabe estivesse pior quando elas estiveram por lá.

Durante o trajeto, chegamos a ver, bem ao longe, o que parecia ser um “mar” de sal. Não pudemos confirmar, mas é algo comum nesta região.

 

E as grandes torres de transmissão nos acompanhariam até Buenos Aires. E não é que é verdade que o Rio Limay é o responsável pelas belas luzes da Capital argentina?!?!?

Paramos para tomar um lanche no Restaurante La Papa Loca, boa comida, preço justo e bom atendimento, almoço self-service com direito até a sobremesa. Boa parada para os aventureiros que passarem por estas bandas.

As paisagens continuavam bonitas e em constante mudança, mas ao se aproximar da região de Buenos Aires, belas árvores, muitos pastos, começavam a fazer parte do trajeto.

O dia já estava por terminar e não conseguiríamos chegar a Buenos Aires antes do anoitecer, decidimos parar em 9 de Julio, após uma conversa com um casal argentino que conhecemos em um posto de combustível. Ele ficou encantando com nossa viagem e disse andar muito de moto, porém sozinho ou com amigos, já que a esposa não gosta muito de viagens longas. Fato comumente relatado por motociclistas ao longo do caminho.

O casal nos indicou ficar no hotel Cla Lauquem, um excelente hotel, novíssimo, com ótima estrutura e bom preço. Nele ainda conseguimos trocar dólares por pesos, por um valor excelente.

Mais um ótimo jantar, com um bom vinho e o descanso merecido.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Hotel Cla Lauquem – Excelente – $500,00 pesos (http://www.clalauquenhotel.com.ar/)
Gasto Combustível: $517 pesos
 
Acompanhem o vídeo de nossas aventuras…
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *